Aposentada cria rádio em grupo de "Whats" para alegrar amigas

Aposentada cria rádio em grupo de "Whats" para alegrar amigas
Foto: Arquivo Pessoal

"Bom dia gente do meu coração, está entrando no ar a rádio 'Tô em Casa', aquela que chega até você pelo WhatsApp e envia abraços através das músicas. Sou Martha Barbosa, a radialista mais feliz que existe, por ter vocês como ouvintes”.

É assim, ao som de “You Can Dance” do grupo Abba, que Martha Barbosa Dos Santos Pereira, de 72 anos, começa a conversar com seus ouvintes todos os dias no começo da manhã.

A aposentada criou, durante a pandemia, uma rádio via WhatsApp, onde envia pequenos áudios com locuções que unem mensagens dela e músicas de vários gêneros. A iniciativa nasceu como uma válvula de escape após o falecimento de seu marido, companheiro de 51 anos de vida, e os reflexos negativos do começo da pandemia, que forçou o isolamento de todos, ainda mais dela, parte do grupo de risco.


Martha e seu marido, Múcio, falecido em 2019 (Foto: Arquivo Pessoal)


A rádio “Tô em Casa” tem um formato totalmente diferente e é fruto da criatividade e riqueza de espírito de Martha. O canal é basicamente um grande grupo de Whats, que apenas ela pode enviar mensagens e arquivos. Todas as manhãs, com apenas seu celular e computador, ela manda arquivos de áudio com suas mensagens e também músicas que são envidas separadas em arquivo a ser baixado.

A ideia da rádio surgiu de uma brincadeira com grupo que chamamos de “amigas para sempre”. Esse grupo foi formado por amigos de infância e juventude que se reencontraram, brinco eu, no “outono de nossas vidas””, explica Martha.

Ela conta que as amigas têm um grupo de WhatsApp e que foi criado, inclusive, para dar apoio a ela durante uma enfermidade. Um dia, em julho de 2020, ela teve um insight e resolveu brincar com as amigas.

Sempre mandava música no grupo, porque eu amo música, eu vivo música, ela alimenta minha alma. Daí um dia em mandei a música, mas antes disse: “Aqui é da rádio To em Casa”, e logo em seguida mandei música. Todo mundo adorou e ali nasceu a ideia”.

Logo depois Martha criou um grupo só pra fazer as locuções e mandar as músicas e hoje o grupo já conta com centenas de pessoas. “Tenho até uma equipe que me ajuda com comentários sobre assuntos específicos”.

Para Martha, além de ajudar a passar pelo isolamento, a criação da To em Casa, foi um refúgio em meio a tristeza de ter perdido o marido Múcio Eduardo Santos Pereira, que faleceu em setembro de 2019 de insuficiência pulmonar.

Eu perdi meu marido e logo veio a pandemia, que me impediu de estar com minhas amigas, de abraçar, então a rádio foi uma coisa muito boa que aconteceu em minha vida, tem me ajudado bastante".


Martha e as "amigas para sempre" reunidas antes da pandemia (Foto: Arquivo Pessoal)

A agora radialista a amante da música diz que pensa em todas as faixas etárias quando escolhe as canções. “Tenho ouvintes de oito a 90 anos. Pelo momento, tenho priorizado músicas mais alegres, pra ajudar no dia da pessoa, sempre com uma mensagem positiva também".

A paixão pela música é uma herança do pai que, aos domingos, colocava os discos de 78 rotações para tocar. Uma lembrança afetiva insuperável, que ajuda Martha e seus ouvintes a atravessarem um momento tão difícil.

"Digo que minha tecnologia é o amor, a mais avançada”.

Para participar do grupo e ouvir a rádio "Tô em Casa", você pode entrar em contato com Martha via perfil no Instagram da rádio ou então pelo número (67) 99981-6907.

FONTE: CAMPO GRANDE NEWS